Governador entrega primeiro selo verde de sustentabilidade a eventos

Festivais que encaminharem corretamente 90% ou mais dos resíduos recicláveis e orgânicos vão receber a autenticação do SLU

Governador Ibaneis Rocha: “Aqui nós temos mais de 90% de coleta seletiva, é um trabalho feito por toda a comunidade que está aqui presente, por todos os motociclistas, a organização” | Fotos: Renato Alves/Agência Brasília

Festivais e eventos do Distrito Federal que encaminharem corretamente ao Serviço de Limpeza Urbana (SLU) os resíduos recicláveis e orgânicos vão receber um selo verde. Chamado de Sou consciente, lixo não!, o selo teve a sua primeira entrega feita pelo governador Ibaneis Rocha ao Capital Moto Week, nesta quarta-feira (26).

Pensando no meio ambiente, o SLU criou o selo direcionado a eventos que alcançarem a meta de 90% ou mais de encaminhamento dos resíduos recicláveis e orgânicos, assim como a redução ou fim desses materiais.

Durante a visita, o chefe do Executivo elogiou a iniciativa e o festival. “Aqui nós temos mais de 90% de coleta seletiva, é um trabalho feito por toda a comunidade que está aqui presente, por todos os motociclistas, a organização. E só temos a agradecer esse cuidado com o meio ambiente. Fizemos a primeira entrega hoje, mas outras estão por vir”, destacou Ibaneis Rocha.

Além do encaminhamento correto, os organizadores devem reduzir e repensar o consumo geral, reduzir o uso de descartáveis, aumentar o uso de materiais recicláveis, gerar educação ambiental nos participantes e compartilhar boas práticas.

Presidente do SLU, Silvio Vieira reforçou a importância dos grandes eventos abraçarem a causa. “Os festivais precisam se encarregar da limpeza, que é pegar o lixo e reciclar, e se reciclarem acima desse percentual de 90%, [assim] eles ganham o selo. Esse foi apenas o primeiro a ser entregue”, acrescentou.

Para atingir esse objetivo, o Moto Week adotou iniciativas que vão desde a utilização de apenas embalagens compostáveis, uso exclusivo de copos retornáveis, um processo de triagem de resíduos feita por uma cooperativa de catadores e, por fim, uma mobilização para coletar resíduos eletrônicos.

Ação social

A parceria do GDF com o Capital Moto Week estendeu-se a ações de cidadania, trânsito, saúde e mobilidade. A chamada Vila do Bem reuniu organizações da sociedade civil e boa parte da estrutura de governo, como o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER), Departamento de Trânsito do DF (Detran), Novacap, SLU e Caesb. As ações desses órgãos foram acompanhadas de perto por cerca de 500 crianças da rede pública de ensino e moradores da Granja do Torto, região onde o festival ocorre.

Organizadora do festival e das ações sociais, a empresária Juliana Jacinto destacou a parceria com o GDF: “O apoio do governo é sempre muito sólido e muito intenso, muito marcante, porque o Moto Week hoje é uma plataforma de comunicação para o mundo. Então o nosso objetivo é mostrar o quanto o governo é ativo nesta parte social.”

A organização estima que esta edição, a 20ª da história, vá atrair 800 mil pessoas, sendo 350 mil motociclistas e 1,8 mil motoclubes e motogrupos de todo o país, o que vai representar a movimentação de R$ 60 milhões na economia do DF e a geração de 12 mil empregos.

Para a primeira-dama do DF, Mayara Noronha Rocha, a rede de solidariedade formada pelo festival é importante por impactar na vida de pessoas além dos frequentadores do Moto Week. “Eles não proporcionam só alegria para quem frequenta, mas também promovem solidariedade. Quem doa um quilo de alimento vai saciar a necessidade de tanta gente e, ao mesmo tempo, quem vem ao festival pode incentivar projetos voltados ao empreendedorismo feminino, tudo isso dentro de um grande evento”, pontuou.

Ian Ferraz, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *