GDF promove ação de descarte de lixo eletrônico nesta sexta (11)

A cada quilo entregue, R$ 1 é pago ao descartante; a iniciativa ocorre até as 17h30 no posto de combustíveis Jarjour da 206 Norte ‌

A ação no posto de combustível Jarjour da 206 Norte ocorre até as 17h30 desta sexta (11) | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

A Secretaria de Meio Ambiente e Proteção Animal do DF (Sema) promove, nesta sexta-feira (11), até as 17h30, uma ação promocional de descarte adequado de equipamentos eletroeletrônicos. A cada quilo de equipamento entregue, o participante vai receber R$ 1, pago no Pix. Confira o regulamento.

A iniciativa conta com a parceria da Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos (Abree) e da Zero Impacto Logística Reversa. Os materiais recolhidos serão descartados de forma correta sem agredir o meio ambiente.

De acordo com a gerente de Implantação da Política de Resíduos Sólidos da Sema, Maria Fernanda Teixeira, os eletroeletrônicos contêm substâncias altamente tóxicas para o meio ambiente, daí a importância do sistema de logística para descartá-los corretamente. “A decomposição desses materiais gera resíduos de metais pesados. É importante que a população procure os pontos de descarte. Com isso a gente garante a destinação adequada e evita a contaminação do solo, da água e, consequentemente, das pessoas, alcançando um meio ambiente e uma população saudáveis”, reforça a gerente.

Para saber qual é o ponto de descarte mais próximo de você, basta acessar este link. Os pontos de entrega voluntária (PEVs)  também podem ser encontrados no site da Sema.

Para onde vai o lixo?

sistema de logística reversa é o modelo de descarte para resíduos especiais, que não podem ser descartados no lixo comum. Nele, os materiais são recolhidos, separados e destinados à reciclagem. Nos casos em que não seja possível o aproveitamento, os objetos vão para aterros sanitários específicos e adequados para cada tipo de resíduos.

Dos pontos de descarte, o lixo eletrônico é levado até um galpão onde ocorre a triagem do material. Os equipamentos de informática que ainda funcionam são consertados e doados, voltando ao uso.

Já os equipamentos que não podem ser reutilizados são separados, com cuidado e proteção contra os resíduos tóxicos, e direcionados ao mercado de reciclagem, em torno de 90% do que é coletado. Cada material, como metais nobres, plásticos, placas e fios é encaminhado para uma indústria específica e volta para a cadeia produtiva.

Ação mensal

Durante o primeiro ano de parceria, entre outubro de 2021 e outubro de 2022, foram coletadas mais de 35 toneladas de resíduos eletrônicos no DF. No mesmo período, foram atendidas cerca de 289 solicitações de recolhimento domiciliar, a maior parte concentrando-se na Asa Norte, em Águas Claras e na Asa Sul.

Na ação desta sexta, o operador local é a Zero Impacto. A empresa também disponibiliza a coleta domiciliar, indo até as residências que atingem o volume mínimo de equipamentos para descarte.

“Percebemos uma certa baixa na entrega de resíduos desde a última ação. O objetivo desta ação com o Pix de R$ 1 é incentivar a população a vir e saber que nesse ponto há coletor fixo”, ressaltou o coordenador de operações da Zero Impacto, Anfrisio Pereira de Sousa.

Segundo o gestor, cerca de 700 quilos de material foram recolhidos na última campanha, no final de julho deste ano. Na ação deste mês, foram 120 kg recolhidos até o momento.

A próxima ação ocorrerá no dia 25. É possível acompanhar os locais e outras ações pelo Instagram da Sema e da Zero Impacto.

Jak Spies, da Agência Brasília | Edição: Carolina Lobo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *