CIDADE DO AUTOMÓVEL: Policial é chamado de vagabundo. Empresário e autor é conduzido à delegacia e autuado por desacato e dano (veja vídeos)

Em 05 de novembro de 2021 – Redação

Há muito tempo que temos assistido o comportamento cada vez mais acintoso e desrespeitoso de determinadas pessoas com os Agentes do Estado (Policiais Militares e Civis) que tem por obrigação e dever proteger e defender os direitos dos cidadãos de bem desse país.

E mais uma vez isso aconteceu ontem (4), na Cidade do Automóvel, em frente a loja de revenda de veículos MASSUH AUTOMÓVEIS, cujo proprietário, NURI ARARUNA MASSUH, desacatou um policial que apenas passou para dar uma carona a seu irmão que estava na loja com uma demanda inerente à seu veículo adquirido na revendedora.

Segundo a versão do policial ouvido pelo Portal, e bem diferente das divulgadas em grandes meios de comunicação, quando ele se deslocava para o seu local de trabalho, o que já configurava “ato de serviço”, recebeu uma ligação de seu irmão que pedia uma carona da Cidade do Automóvel para casa onde tentava deixar seu veículo numa revenda onde o comprara a poucos meses e que vinha apresentando problemas constantes.

Ao chegar no local o policial se deparou com seu irmão cercado por um grupo, supostamente de vendedores da loja, já bastante alterados onde todos se desentendiam mutuamente. Pela experiência, estando fardado e prevendo o agravamento da situação, o policial chamou pelo seu irmão e disse: “Vamos embora porque aqui você não vai resolver nada. Já conheço esse local aqui e aqui tem muito rolo e problema com picaretagem”, disse o policial que, pelas próprias palavras, não as direcionou a nenhum dos envolvidos.

Nesse instante, ainda de acordo com o policial, o grupo que já compunha cerca de 20 a 30 elementos, por observar que ele estava fardado partiu para cima do mesmo desferindo palavras como “PMzinho de merda”, “autoridade de merda”, “Cuzão” e outros adjetivos pesados.

Por uma questão de segurança própria devido ao grande número de pessoas alteradas e insultando-o, o policial sacou de sua arma e se manteve em condições de defesa até que seu irmão fosse para o veículo. Solicitou que todos ficassem onde estavam e ligou para a PM solicitando reforço policial, já que as agressões verbais e o desacato continuavam ferrenhamente e dali para uma agressão física e uma tragédia não estava descartada. Nesse intervalo até a chegada do reforço os elementos, por estarem em vantagem numérica, danificaram o seu veículo e incitaram outros comerciantes contra o policial.

Com a chegada do reforço, a voz de prisão que já havia sido dada ao proprietário da loja foi cumprida e todos foram levados à delegacia, onde NURI MASSUH foi autuado por desacato e dano ao patrimônio particular.

De acordo com o policial, que trabalha a muito tempo na área da Estrutural e é muito respeitado pelos colegas pelo seu profissionalismo, as matérias e vídeos produzidos em alguns grandes meios de comunicação foram editados tentando jogar a opinião pública contra o Agente do Estado. “Os palavrões, xingamentos e desacatos que sofri até a chegada do reforço não foram publicados, foram retirados dos vídeos (editados), dando a entender que somente o fato de eu ter sacado a minha arma para minha própria proteção era o mais importante para a imprensa achincalhar a mim e a corporação”, disse o policial.

O vídeo abaixo mostra o proprietário da loja, NURI MASSUH, completamente alterado e provocando o policial que, no auge de sua tranquilidade e experiência com esses tipos de ocorrências, aguardava pacientemente o reforço solicitado. As ofensas proferidas pelo cidadão que se dizia vítima não foram economizadas em direção ao policial como: “BOSTA, MERDA, VEM ME PRENDER AUTORIDADEZINHA DE MERDA, ESTOU MORRENDO DE MEDO DE VOCE ME PRENDER SUA AUTORIDADEZINHA DE MERDA, FODÃO, GAROTÃO DA LEI, VEM ME PRENDER GAROTÃO DA LEI, COCOZÃO, MANÉ, AUTORIDADE DE MERDA, VAGABUNDO”.

Nesse outro vídeo abaixo, disponibilizado ao Portal pelo irmão do policial, nota-se claramente o proprietário da loja MASSUH AUTOMÓVEIS incitando os outros proprietários das lojas adjacentes contra o policial que, apesar de tudo, permaneceu atrás do seu veículo em posição defensiva. Num certo momento o autor partiu em sua direção e deu tapas no teto do carro causando amassamento e só não agrediu o policial porque seus colegas presentes não deixaram.

De acordo com a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), os fatos estão sendo apurados tanto na esfera civil como criminal.

Por fim, todos foram conduzidos a 8ª Delegacia de Polícia onde NURI MASSUH foi autuado em flagrante delito por desacato à autoridade e danos simples.

POR: Opinião Brasília